Coronavírus | Entenda a origem, os sintomas e qual o real perigo - Desmorto

Desmorto

Diversão para vivos e não vivos

Post Top Ad

Responsive Ads Here

29 janeiro 2020

Coronavírus | Entenda a origem, os sintomas e qual o real perigo

Mesmo nosso site sendo voltado ao entretenimento, sempre damos espaço a assuntos sérios que entrem de certa maneira na temática que tratamos. Piadas e memes sobre o coronavírus estão espalhados em toda a internet, mas não só de humor vive a humanidade. Então para não se equivocar com alguma informação indevida ou achar que uma piada se trata de uma informação verídica, vamos falar os fatos sobre essa nova ameaça a humanidade.

O ano de 2020 começou com diversas notícias de uma nova doença proveniente da China que estava assustando as redes de saúde. Trata-se do Coronavírus, mais especificamente o 2019-nCoV.

Entendendo do que se trata o Coronavírus



Coronavírus na verdade é uma família de vírus conhecido desde os anos 1960. Esses vírus atacam humanos e animais e causam doenças respiratórias leves a moderadas, trazendo sintomas semelhantes a um resfriado comum. É considerado normal que uma pessoa em seu tempo de vida tenha se contaminado com algum tipo de coronavírus sem muitos problemas. Esse contágio em geral acontece pelos alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

O problema é que há coronavírus que  podem causar síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS (“Severe Acute Respiratory Syndrome”). Esse tipo de vírus mais grave teve os primeiros relatos em 2002 na China, que se espalhou por diversos outros paises, o que até o controle da doença no ano seguinte, deixou um saldo de 8.000 pessoas que foram contagiadas e causando entorno de 800 mortes.

Sem outros casos até então, em 2012 na região do oriente médio foi identificado uma variante deste vírus, que por não sair desse região, ficou conhecido como MERS (“Middle East Respiratory Syndrome").

Este novo surto de coronavírus de 2020 se iniciou na região de Wuhan, na China, e é uma nova variedade do vírus.

“O novo coronavírus causa, em geral, sintomas respiratórios mais leves que os da Sars e da Mers e os sinais clínicos mais referidos são febre e tosse. Até o momento, a letalidade também é menor que a associada a Sars e Mers“

Sintomas



O período de incubação é entre 2 a 14 dias, então mesmo contagiado, a pessoa pode demorar a apresentar os sintomas.

Os sintomas são praticamente iguais de um resfriado e em casos mais graves, se tornando uma pneumonia. Então de forma geral os sintomas são:

  • Febre.
  • Tosse.
  • Dificuldade para respirar.

Como agir

Há 3 etapas que devem ser seguidas para lidar com o coronavírus.


Há cuidados básicos que reduzem o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias e elas também servem para o caso do coronavírus. Entre as medidas estão:
  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.
Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

E no Brasil?

Até o momento (29 de janeiro de 2020) não há casos confirmando do coronavírus 2019-nCoV no Brasil, mas há alguns poucos casos suspeitos (3 até o momento de publicação deste artigo). O nível de classificação de risco do Ministério da Saúde está no nível 2 agora, que significa perigo iminente. O próximo e último nível de classificação de risco seria o 3 que é caso haja confirmação de contágio no território nacional.



Leia também: Veja o avanço do coronavírus em tempo real


Todo caso, mesmo que haja uma confirmação de caso, não há motivo para se desesperar. Mesmo sendo algo grave, o mundo já passou por doenças piores. Até mesmo coronavírus piores.

Porém todo cuidado é pouco. E uma das maneiras de lidar corretamente com um surto de uma nova doença é justamente a busca por informações.

Em caso de suspeitas ou dúvidas, procure os orgãos de saúde da sua região.

Referências: Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, Ministério da Saúde e Revista Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu recado

Leia também

Post Top Ad

Responsive Ads Here